No dia da tragédia de Vegas, Caiado defende porte de arma em post no Facebook

Uma triste coincidência transformou um post do senador Ronaldo Caiado (DEM) no Facebook numa das maiores gafes da sua carreira política. No mesmo dia em que ele defendeu a liberação do porte de armas no Brasil – ou, nas palavras dele, a “revisão” da lei do desarmamento -, um homem que se aproveitou do livre acesso a armas nos Estados Unidos matou pelo menos 58 pessoas e feriu mais de 500 em um show em Las Vegas.

O maior atentado da história dos EUA, cometido por um homem chamado Stephen Craig Paddock, incensou de forma inédita a resistência às leis frouxas do País, que permitem o acesso facilitado a armas. Segundo estudo de Harvard, há 300 milhões de armas nos Estados Unidos – país onde vivem 320 milhões de habitantes. São registradas 92 mortes por arma de fogo por dia nos EUA.

A teoria do senador Caiado é a de que o Brasil é governado por facções criminosas e que cada família tem que ser responsável pela sua própria segurança “Nós hoje estamos sob o comando não do Estado brasileiro. O Estado brasileiro hoje não entra no Rio de Janeiro. O Estado brasileiro não entra no Entorno de Brasília, não entra nas penitenciárias. Quem comanda hoje são as facções no País”.

Abaixo, o vídeo de Caiado: