Caiadismo avacalha Produzir e transforma incentivos fiscais em vilões. E a Adial? Aceita tudo calada

Caro leitor, percorra os jornais e portais de notícias dos Estados em estágio de desenvolvimento econômico, como é o caso de Goiás, e constate: em nenhum outro lugar deste País os incentivos fiscais estão sob tamanho nível baixo de avacalhação. Mais ainda, mesmo onde os incentivos existem e não estão em questão, a classe empresarial está unida e coesa na narrativa sobre sua importância.

Goiás segue na direção contrária. A narrativa do senador e governador eleito Ronaldo Caiado e de seus asseclas de que a legislação do programa local, o Produzir, de que os incentivos são inúteis para o crescimento econômico avança. A Adial, que se apresentou como mediadora da crise aceita tudo calada, sem reação alguma, acreditando na história da carochinha de que Caiado proporá um acordo.

A mentalidade dos Caiado é da República Velha, quando o Brasil ainda era a pátria do café-com-leite. Na política e na produção econômica.