Baldy caminha para encerrar trabalho como ministro com êxito total


Se há pontos positivos na gestão do presidente Michel Temer (MDB), um deles é o goiano Alexandre Baldy, que como ministro das Cidades demonstrou capacidade gerencial e administrativa acima da média do governo. 

A coroação do seu trabalho pode vir com a notícia de que ele conseguiu os recursos necessários para fazer com que a União arque com a integralidade dos custos da construção da avenida Leste Oeste, um projeto grandioso que vai ligar Goiânia de ponta a ponta. 

A ideia inicial era a partilha de gastos entre prefeitura e Estado, mas diante das dificuldades financeiras de ambos os entes, Baldy ofereceu-se para conseguir a verba integral (R$ 115 milhões) necessária para dar cabo à obra. Faltam só detalhes para que a notícia seja dada. 

Em 1 ano e 1 mês como ministro, Baldy entregou 1,2 mil casas por dia em todo o País. Concluiu 73 unidades habitacionais por dia em Goiás. Viabilizou recursos para reforma da comprometida Maginal Botafogo e para conclusão do BRT, também na Capital, além de obras vultosas de saneamento em Luziânia, Valparaíso, Cristalina, Rio Verde, Mineiros, Anápolis e Goiânia. 

Baldy é conhecido em Brasília como o ministro das obras retomadas. Ao término de sua gestão, ele terá concluído 56 mil das 89 mil casas cuja construção estava interrompida quando ele chegou à Esplanada. No Ministério que ele comanda, o comentário é de que o programa Minha Casa, Minha Vida divide-se entre antes e depois do goiano. 

O inquestionável êxito de Baldy como ministro das Cidades chamou atenção do governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), que apressou-se em convidá-lo para o cargo de Secretário de Transportes.