Só bater, bater, não elege, admite Vanderlan. Mas ele foi a Rio Verde e só bateu, bateu, não apresentou propostas

Em entrevista publicada no primeiro número do jornal A Rede, veículo impresso co-irmão da Rádio 730, o empresário Vanderlan Cardoso admitiu que, na política, “só bater, bater não leva nada, é preciso ter propostas”.

Em entrevista a emissoras de rádio em Rio Verde, nesta quinta-feira, após reunião que foi um fiasco de público na Câmara Municipal da cidade, Vanderlan só bateu, bateu e não apresentou propostas.

Matéria do site oposicionista Diário de Goiás, que parece ter acompanhado Vanderlan na viagem a Rio Verde, mostrou o empresário socialista despejando muitas críticas contra o Governo estadual, mas sem apresentar nenhuma – nenhuma – proposta para Goiás.

Vanderlan criticou a terceirização dos serviços de esgoto de alguns municípios do interior, entre os quais Aparecida – o prefeito Maguito Vilela (PMDB) chegou a escrever artigo em O Popular defendendo a terceirização como necessária diante dos vultosos investimentos no setor de saneamento reclamados por Aparecida.

Sem mais nem menos, Vanderlan atacou as políticas do Governo do Estado para o funcionalismo. Essa não deu para entender. Ele não formulou nenhuma alternativa ou solução para o funcionalismo.