CPI dos Incentivos Fiscais:“Não abrimos mão do papel de fiscalizar e legislar. A comissão é técnica e vamos chegar até o fim”, afirma Humberto Aidar

Ao Jornal Opção, o deputado Humberto Aidar diz que é natural que os investidores estejam assustados, mas garante que os parlamentares não querem trabalhar contra nenhum empresário ou empresa. “Apenas separar o joio do trigo”, garante.

Humberto afirma que o intuito é saber sobre os bons empresários, que de posse dos incentivos alavancaram o progresso do Estado e que continuam a fazê-lo e, também, daqueles que se apropriaram do dinheiro público para enriquecimento. “Não abrimos mão do papel de fiscalizar e legislar. Ninguém criou a CPI com o intuito de caça às bruxas. A CPI é técnica e vamos chegar até o fim”, elucida o parlamentar.

Detalhes

Segundo Humberto Aidar, na CPI haverá a presença constante de um membro do Ministério Público, de um auditor do Tribunal de Contas da União, bem como dos Tribunais de Conta do Estado e Municipais. Todos eles, “com carta livre para investigar todos os documentos que hoje estão na secretaria da Economia. Minha torcida é que, ao final da CPI, tudo tenha sido feito corretamente”, finaliza.