Números da receita mostram que empresários ricaços podem contribuir muito mais com Tesouro Estadual

Os números da receita estadual no primeiro semestre de 2019 mostram que os empresários ricos de Goiás beneficiários da polpuda política de incentivos fiscais podem contribuir muito, mas muito mais com a recomposição do Tesouro Estadual.

Os dados mostram que, enquanto a arrecadação de ICMS tiveram acréscimo de R$ 795,988 milhões entre janeiro e junho deste ano, os recursos do Fundo Protege aumentaram apenas R$ 106 milhões. Os cortes de incentivos podem render muito mais, tendo em vista que em alguns setores, como o automotivo, o crédito outorgado é de R$ 98%.

De janeiro a junho deste ano, segundo os números, as receitas com tributos estaduais cresceram R$ 1,005 bilhão, um acréscimo de 11,52% sobre o mesmo período do ano passado. Só com ICMS, principal tributo estadual, o Tesouro Estadual recolheu R$ 795,988 milhões a mais nos últimos seis meses.

Boa parte dos mega empresários goianos hipotecou apoio a Caiado na campanha. Representados pela Adial, eles podiam cumprir a promessa de respaldar o governo abrindo mão de incentivos fiscais para dar ao governador o caixa gordo que ele diz precisar para colocar as contas públicas em ordem.