Crise na Segurança: omissão de Caiado pode resultar na saída de 700 policiais do serviço ativo da PM

Até março deste ano policiais militares recebiam um abono de permanência para que continuassem na ativa. Agora, esse abono acabou. O fim do abono se deu em razão da reforma da Previdência. Porém, o governo de Goiás poderia criar uma gratificação com outra nomenclatura e nos mesmos valores. Ocorre que essa medida fica em média 80% mais barato para o governo manter esse Militar na ativa do que fazer um concurso para suprir a falta desse Militar que vai para a reserva. Com isso, o efetivo que já está muito ruim, irá piorar muito.

Atualmente são 700 militares que devem sair se o governo não fizer nada. Eles estão em todas as unidades operacionais, colégios militares etc. Até julho de 2021 o número que completaram tempo para ir para a reserva, será mais de 1.800. Isso irá causar um verdadeiro caus no efetivo da PM. Essa realidade se agrava com os impedimentos de concursos por causa da crise financeira em razão da pandemia.