Entidades empresariais jogam dinheiro fora com anúncio furado de primeira página no Popular

O anúncio pago a peso de ouro por entidades empresarias na primeira página – “página cover” – do Popular foi um desperdício de dinheiro. O anúncio defende a reabertura do comércio num texto desfocado e mal feito.

Primeiro, porque jornal impresso não dá mais ibope  e tem baixa leitura- no caso do Popular, a tiragem impressa é ridícula e não tem mais repercussão em Goiânia e no interior do estado.

Segundo, porque o Popular não disponibilizou a primeira “página cover” com o anúncio no site do jornal, o que restringiu ainda mais a visibilidade do material.

Terceiro, o que manda em comunicação nos tempos modernos são os sites na internet, que chegam ao grande público e produzem efeitos efetivos de leitura,  o que não foi obtido pela anúncio das entidades empresariais.

Em resumo, as entidades foram mal orientadas e embarcaram na canoa furada da primeira “página cover”do Popular. Dinheiro jogado fora em publicidade sem retorno.