Dezembro Vermelho intensifica testagem para detecção de HIV e outras DST´s em Aparecida

A agenda do Dezembro Vermelho 2020 teve início nesta terça-feira (01) em Aparecida. O Dia Mundial de Luta Contra a Aids contará com uma campanha de massificação da testagem para detecção de HIV, Sífilis e Hepatites B e C no município. A abertura da campanha, que pretende realizar sete mil testes rápidos, aconteceu no Centro de Especialidade e Diagnósticos do município, onde está localizado o Centro de Testagem e Aconselhamento Itinerante (CTA). Mas os exames rápidos, com resultado em menos de 30 minutos, poderão ser realizados em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS).
Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a ideia é aproveitar a onda de conscientização para a prevenção contra doenças evitáveis adotada por todos durante a pandemia.
O secretário de Saúde, Alessandro Magalhães, lembra que a prefeitura oferece tratamento moderno e gratuito contra HIV e demais Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST´s), mas que as pessoas precisam realizar o teste para ter um diagnóstico antecipado e com ele maior qualidade de vida. “A atenção integral às pessoas com infecções sexualmente transmissíveis (IST) e também às parcerias sexuais, quando ocorrida no momento adequado e oportuno, interrompe a cadeia de transmissão e melhora a qualidade de vida dessas pessoas. Por isso, é fundamental uma orientação para a prevenção contra a transmissão e também contra novas infecções” – pontua a coordenadora do Programa de IST/AIDS e Hepatites Virais, Daniele de Oliveira Prates.

Maria Celeste, de 53 anos, estava na unidade e resolveu fazer o teste. “É sempre bom se prevenir porque o sofrimento depois é muito maior” – lembra. Segundo os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), o Brasil registra anualmente cerca de 40 mil casos de infecção pelo HIV. Uma média de 69% em homens e 31% em mulheres, principalmente na faixa etária de 20 a 34 anos (52,7% dos casos). Em Aparecida foram notificados um total de 2.299 casos HIV/AIDS. Em 2019 foram notificados 260 casos e 188 em 2020, sendo 80, 3% (151) dos casos em homens e 19, 7% (37) dos casos em mulheres.

A campanha é uma iniciativa da Vigilância Epidemiológica de Aparecida, por meio do Programa de IST/AIDS e Hepatites Virais. Segundo a coordenadora do programa, Daniele de Oliveira Prates, além de todo tratamento das pessoas que vivem com o vírus e o uso do preservativo, a Secretaria de Saúde disponibiliza gratuitamente à população estratégias e tecnologias avançadas para a prevenção à infecção pelo vírus. “A Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) e a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), por exemplo, são medicamentos oferecidos sob a orientação do Serviço de Assistência Especializada (SAE) que, utilizadas de forma isolada ou combinadas, podem evitar a transmissão do HIV” – explica Danielle.

Daniele explica que além do tratamento das pessoas que vivem com o vírus e o uso do preservativo, a Prefeitura disponibiliza gratuitamente à população estratégias e tecnologias avançadas para a prevenção à infecção pelo vírus. “As pessoas já foram aculturadas para o uso da pílula do dia seguinte, por exemplo, mas poucas pessoas sabem da existência de profilaxias destinadas especificamente para situações de suspeita de contágio com soropositivos. Ainda existe muito tabu e preconceito da maioria da população” – completa.