Vamos lá: proposta de Iris e Vanderlan é “gestão”. Mas isso não é proposta, é o mínimo que um governante tem a fazer

Com condescendência e generosidade, quem ler as entrevistas de duas páginas, cada uma, que Iris Rezende e Vanderlan Cardoso deram a jornais neste domingo e segunda pode até concluir, nas entrelinhas, que eles têm uma proposta, sim, para o Governo de Goiás: gestão.

Ou seja: o eleitor, sem saber o que os dois pensam para o futuro de Goiás, deve escolher votar em um deles baseado nas “garantias” que eles próprios dão de que farão uma boa “gestão” e pronto.

Nada mais.

Ambos, Iris e Vanderlan, se desdobram em auto elogios. Um, Iris, diz que fez 70% de tudo o que existe em Goiás. Outro, Vanderlan, garante que foi o melhor prefeito da história de Senador Canedo e que por isso será um grande governador.

Os dois coincidem na opinião (maluca) de que Goiás acabou e que só eles poderão recuperar o Estado.

Lendo as entrevistas, portanto, o leitor bondoso poderá concluir que a proposta que eles têm é a intenção de fazer uma boa “gestão”. Basta confiar que os resultados, um dia, chegarão para todos os goianos.