Sermão do bispo de Muquém contra políticos demagogos cai como carapuça na oposição

O duro sermão de Dom Messias em Muquem caiu como carapuça na turma da oposição, aí incluídos  José Nelto, Daniel Vilela e Ronaldo Caiado, que aparece na cidade com propósitos eleitoreiros.

Sobre o sermão de dom Messias, Marconi reforçou que “tem muito político que na igreja é uma coisa e quando chega em Brasília ou em outro lugar tem outro comportamento.  São políticos que gritam, que xingam, que fazem bonitos discursos mas não fazem nada na prática para melhorar a vida das pessoas”, disse Marconi, prosseguindo: “E outros que fazem corrupção no passado e depois acusam os outros. São políticos demagogos, populistas, que não merecem a confiança das pessoas”, disse.

“Mas também tem aqueles políticos que só vêm a Muquém por conta dos eleitores, dos votos. Esses políticos também vão a Trindade, para aparecer diante dos eleitores. Dom Messias tem razão em fazer a cobrança pelo outro comportamento por parte deles. Eu sou romeiro há 40 anos, pertenço a esta região e faço isso em função da minha fé”, afirmou ainda o governador.

Uma das mais tradicionais festas religiosas do País, a Romaria do Muquém atrai fiéis de várias regiões do Brasil e até do exterior que, por duas semanas, todos os anos se dirigem ao pequeno distrito de Niquelândia, fincado entre serras, para expressar a fé em Nossa Senhora D´Abadia, pagar promessas e buscar curas.