Desânimo de Nelto tem a ver com invasão de suas bases por Dona Iris e traição de Daniel Vilela

O desânimo manifesto nesta quarta-feira, no plenário da Assembleia Legislativa, pelo deputado estadual José Nelto (PMDB) é compreensível. Desde que decidiu encerrar a sua passagem pela Assembleia e tentar dar um upgrade na carreira como candidato a deputado federal, a sucessão de revezes que ele enfrentou impressiona.

O blog até admite que Nelto acumulou êxitos quando começou a construir o seu caminho para chegar a Brasília, mas logo viu as suas bases serem invadidas por um tsunami chamado Dona Iris (PMDB). A primeira-dama de Goiânia, com aval do marido, tirou redutos do colega e colocou em xeque a viabilidade eleitoral do projeto dele. O golpe mais duro foi Aparecida de Goiânia, que trocou de mãos com o aval do pré-candidato do PMDB a governador, Daniel Vilela.

A traição de Daniel é uma das principais causas do desânimo de José Nelto, que disse na Assembleia que considera a possibilidade de encerrar a carreira sem disputar nada. É que, para conseguir o apoio do casal Iris na eleição para governador, Daniel tem feito de tudo para conseguir bases eleitorais para primeira-dama, desequilibrando em favor dela a corrida por apoios na eleição para deputado federal.