Prefeitos dissidentes do MDB vão à Justiça contra expulsão

Prefeitos que estão sob ameaça de expulsão do MDB por declarar apoio à candidatura de Ronaldo Caiado (DEM) a governador vão recorrer à Justiça para continuar no partido. Eles afirmam que são livres para defender teses que divergem do projeto do presidente da legenda, deputado federal Daniel Vilela, é que é impossível falar em infidelidade antes que se realize convenção (marcada para julho). 

Os cinco prefeitos que serão defenestrados são Adib Elias (Catalão), Ernesto Roller (Formosa), Fausto Mariano (Turvânia), Paulo do Vale (Rio Verde) e Renato de Castro (Goianésia). Eles defendem que o MDB abdique da candidatura própria ao Palácio das Esmeraldas e marche com Caiado, indicando o vice e o candidato a senador. Na última segunda-feira, a Executiva do MDB deu início ao processo de expulsão dos cinco. Eles serão julgados agora por Conselhos de Ética municipais e estadual.

“Vou entrar na Justiça para assegurar meu direito de divergir do presidente”, diz Fausto Mariano. “Não vamos sair e iremos lutar na Justiça para manter o diretório em Catalão”, afirma Cairo Batista, que deve ser destituído na presidência municipal do partido. Roller diz que “sem convenções, ninguém é infiel”: “a justiça existe para dirimir dúvidas, mas é tudo muito embrionário e, só depois de ser notificado, vou avaliar que atitude tomar”.