Em nota, defesa de Rincón diz que Cash Delivery foi “operação eleitoreira”

Como informou o blog minutos atrás, a Justiça concedeu habeas corpus para Jayme Rincón, preso há quase duas semanas na operação Cash Delivery. Em nota, a defesa de Jayme reafirmou que a prisão teve caráter eleitoreiro.

Confira:

A Defesa de Jayme Rincon, constituída especialmente para o HC, desde o início da deflagração da Operação Cash Delivery sustenta que a operação tem cunho eleitoreiro.

A prova disto é que uma delação já há muito conhecida, a da Odebrecht, que aponta pagamentos de caixa dois nas campanhas de 2010 e 2014, foi o fundamento das prisões.

É evidente a falta de contemporaneidade que possa justificar uma medida tão grave como a supressão da liberdade. Ninguém esta acima da lei, e a Defesa não tem nenhuma preocupação com a investigação.

Mas o uso abusivo da prisão em um momento pre eleitoral é extremamente grave e tende a desestabilizar o necessário equilíbrio nas eleições.

A decisão do TRF começa a resgatar a verdade e a devolver ao eleitor de Goiás a autonomia para decidir o seu destino.

Desde o início, a Defesa afirmou que a prisão era injusta, extemporânea e ilegal. A espetacularização do processo penal não serve para o Estado Democrático de Direito.

KAKAY